sábado, 3 de setembro de 2016

Peregrinação da Família Franciscana a Fátima

A JEF vai estar presente na 44ª Peregrinação Franciscana a Fátima, dia 1 e 2 de outubro.
Faz já a tua inscrição através de:
http://goo.gl/znUV4W 
até ao dia 20 de setembro.

Contamos contigo!




A Peregrinação Franciscana a Fátima será nos dias 1 e 2 de Outubro de 2016, com vários motivos a animar a nossa caminhada de cristãos e franciscanos:
- O Jubileu da Misericórdia
- Os 800 Anos da chegada dos Franciscanos a Portugal
- Os 800 Anos do Perdão de Assis
- Centenário da morte da Irmã Mary Wilson
- Centenário das Aparições do Anjo em Fátima…
O início da Peregrinação será, como de costume, no início da tarde de sábado, embora com um programa um pouco diferente, de que daremos conta atempadamente.
O material habitual – Cartazes e Guiões – será enviado oportunamente de modo que possam organizar tudo convenientemente.
Se houver algum endereço das pessoas que costumam organizar os autocarros que não esteja correcto agradeço que me comuniquem, bem como qualquer outra informação que julguem útil.
PROGRAMA-HORÁRIO
- Sábado, dia 1 de Outubro 2016
- 14h00 – Hora de Reparação ao Imaculado Coração de Maria (Capelinha das Aparições)
- 15h00 – Meditação e Adoração Eucarística (Basílica da Santíssima Trindade)
- Tempo para os Peregrinos que quiserem se confessarem (Capela da Reconciliação)
17h00 – Saudação a Nossa Senhora (Capelinha das Aparições)
Peregrinação até à Basílica da Santíssima Trindade e passagem pela «Porta Santa»
- 18h00-19h30 – Eucaristia (Basílica da Santíssima Trindade)
- 21h30 – Terço e Procissão (Capelinha das Aparições)
- 23h00-0h30 – Vigília (Basílica de Nossa Senhora do Rosário)
- Domingo, dia 2 de Outubro 2016
− 10:00 - Terço (Capelinha das Aparições)
− 11:00 - Eucaristia Internacional

sábado, 23 de julho de 2016

XVII Capítulo Geral das Servas Franciscanas Reparadoras

Capítulo Geral

No mês de Julho de 2016 a Congregação das Servas Franciscanas Reparadoras irá viver um tempo particularmente intenso de graça com a celebração do seu XVII Capítulo Geral.
Além dos vários temas de reflexão, deste Capítulo sairá um novo Governo Geral que assumirá o serviço da Congregação nos próximos seis anos.
“Celebrar o XVII Capítulo Geral, Electivo, significa para nós parar para avaliar, reflectir e projectar o futuro. Nele e dele receberemos a força que vem do Espírito do Senhor. Neste Capítulo fiquemos de joelhos e em silêncio diante do Senhor da Vida de forma a bebermos Dele a Vida em abundância, a deixarmo-nos cair nos Seus ombros de Bom Pastor e com Ele corrermos aos prados verdejantes, saciando-nos e fortalecendo as nossas vidas para sairmos e irmos ao coração do homem apontando-lhe razões únicas para manter a esperança e uma fé mais viva e madura.
Neste capítulo juntas celebremos a vitalidade do Carisma, celebremos com alegria a fidelidade dos Fundadores e de cada irmã que peregrina neste mundo onde apresenta a alegria do ser consagrada.”
(Circular da Superiora Geral)


ORAÇÃO PELO BOM FRUTO DO XVII CAPÍTULO GERAL
Altíssimo, Omnipotente e bom Senhor,
na celebração do XVII Capítulo Geral,
renova-nos e ensina-nos a proclamar
a Tua MISERICÓRDIA.

Tocadas pela Tua PALAVRA salvadora
e pelo CARISMA que nos impulsiona
à missão REPARADORA
possamos irradiar ao mundo
a ALEGRIA do EVANGELHO

Ilumina o nosso coração
com a SABEDORIA do Teu ESPÍRITO
para juntas discernirmos a Tua vontade
sobre os destinos da TUA e nossa CONGREGAÇÃO
a MARIA tudo confiamos
para que ELA possa complementar em nós
a OBRA bafejada pelo sopro Divino do ESPÍRITO.

Ámen

http://www.sfrjs.org/
https://www.youtube.com/watch?v=Rc9W3laKqF4

Conhece melhor as Servas Franciscanas

sábado, 16 de abril de 2016

Vocações'16


«A Igreja, mãe de vocações»
10 pontos para compreender a Mensagem do Papa Francisco para o 53º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, 17 de abril de 2016, IV Domingo da Páscoa:

1. Todos os batizados possam experimentar a alegria de pertencer à Igreja e de, nela, redescobrir a vocação cristã geral, bem como a particular (de cada um), na comunidade que é «terra» onde toda a vocação germina, cresce e frutifica.

2. Demos graças pela comunidade, porque ela é o lugar onde a ação misericordiosa do Senhor nos perdoa os pecados, abrindo-nos à vida nova que se concretiza no chamamento ao discipulado e à missão. A conversão e a vocação são duas faces da mesma medalha, interdependentes durante toda a vida do cristão.

3. O primeiro passo do processo de Evangelização é a adesão à comunidade cristã, incorporação que compreende o acesso a toda a riqueza da vida eclesial, nos Sacramentos e na vida da Igreja, a que somos chamados a dar crédito.

4. A comunidade é, também, mediação onde somos chamados a uma vocação específica. Ela é antídoto para a indiferença e o individualismo, permitindo-nos sair de nós mesmos e a colocar toda a nossa existência ao serviço de Deus e do povo.

5. Todos os fiéis são, pois, chamados a ser responsáveis no cuidado para com as vocações e o seu discernimento, pelo que toda a comunidade cristã não cessa de estar presente na germinação das vocações, na sua formação e perseverança.

6. A vocação nasce na Igreja, “lugar” onde acontece o despertar de uma vocação, através de um justo “sentido” de Igreja. É-se chamado para a Igreja e para o mundo. O sinal de autenticidade de um carisma é a sua eclesialidade, pelo alargar do próprio horizonte eclesial, realizando um discernimento mais objetivo a partir do conhecimento dos múltiplos carismas, cujas diferenças não fazem perder, mas reforçar, os vínculos de comunhão em todos.

7. A vocação cresce na Igreja, espaço educativo fundamental que todos os candidatos são chamados a conhecer cada vez melhor, superando a visão limitada que todos temos inicialmente, através de experiências apostólicas, como a catequese na paróquia, a evangelização das periferias, visitando a clausura e abrindo o olhar sobre a vida dos missionários que vão para fora.

8. A vocação é sustentada pela Igreja, depois do compromisso definitivo que atua a sua continuidade na disponibilidade para o serviço, na perseverança e na formação permanente. Em suma, é a necessidade na Igreja que chama a sair e a voltar, como nos revela a história dos Apóstolos, sustentados e acompanhados pela comunidade cristã, onde encontram segurança na missão até à vida eterna.

9. Os sacerdotes são agentes pastorais a quem se dá particular relevância, pelo cuidado pela pastoral das vocações que são chamados a realizar como parte fundamental do seu ministério, acompanhando tanto aqueles que andam à procura da própria vocação, como os que já ofereceram a vida ao serviço de Deus e à comunidade.

10. A vocação tem um dinamismo eclesial de que todos os fiéis são chamados a consciencializar-se, para que as comunidades possam tornar-se, a exemplo da Virgem Maria, seio materno que acolhe o dom do Espírito Santo. Esta maternidade da Igreja exprime-se através da oração perseverante pelas vocações, da ação educativa, do acompanhamento daqueles que sentem o chamamento de Deus e da cuidadosa seleção dos candidatos ao ministério ordenado e à vida consagrada.

Oração pelas vocações:
Pai de misericórdia, que destes o vosso Filho pela nossa salvação e sempre nos sustentais com os dons do vosso Espírito, concedei-nos comunidades cristãs vivas, fervorosas e felizes, que sejam fontes de vida fraterna e suscitem nos jovens o desejo de se consagrarem a Vós e à evangelização. Sustentai-as no seu compromisso de propor uma adequada catequese vocacional e caminhos de especial consagração. Dai sabedoria para o necessário discernimento vocacional, de modo que, em tudo, resplandeça a grandeza do vosso amor misericordioso. Maria, Mãe e educadora de Jesus, interceda por cada comunidade cristã, para que, tornada fecunda pelo Espírito Santo, seja fonte de vocações autênticas para o serviço do povo santo de Deus.

Para ler a mensagem completa:
http://tinyurl.com/53dmov2016